Visitantes online: 785
logo topo

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

21/02/2018

17:34

Mais um delírio no Palácio do Planalto

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

O governo não corta gastos como deveria, abriu mão de bilhões em perdões de dívidas para abafar os inquéritos contra Michel Temer, só faltava agora querer criar um novo imposto para financiar a segurança pública. A resposta do presidente da Câmara, Rodrigo Maia está corretíssima, ainda que a gente saiba que é uma reação ao fato de ter sido passado para trás por Temer no episódio da intervenção na segurança do Rio de Janeiro. A reação pode vir do fígado, mas mesmo por via transversa é o que recomenda a razão. E sem o apoio de Maia, o Palácio do Planalto guardou o projeto do novo imposto na gaveta, nem ousou lançá-lo ao vento para sentir a reação da base aliada.

21/02/2018

16:11

Alguém tinha dúvida?

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

O marqueteiro do PMDB, Elsinho Mouco diz que Temer "entrou no tabuleiro eleitoral" com a intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro. Segundo Elsinho Mouco, "a vela (de Temer) foi acesa e agora está batendo um ventinho" para alimentar a chama. Torço para que a intervenção produza algum resultado prático para a população que não suporta mais viver no meio da guerra que tomou conta do nosso estado, mas todo mundo sabe que é uma jogada de marketing visando as eleições deste ano. É a última aposta de Temer, que como diz Elsinho "está apostando todas as fichas". Se a intervenção tiver algum sucesso, e com a criação do Ministério da Segurança Pública, essa será a plataforma de Michel Temer para tentar a reeleição.

21/02/2018

14:05

Exclusivo! Araponga usado por Cabral e Pezão para espionar adversários demorou 4 anos para ser exonerado

Reprodução do Diário Oficial
Reprodução do Diário Oficial

Não deixem de ler a reprodução do blog, de novembro do ano passado, quando compareci a audiência no processo onde o ex-secretário José Mariano Beltrame me acusa de calúnia por denunciar as maracatuaias que aconteceram sob seu comando.

Na matéria relato o esquema de espionagem (arapongagem) montado por Sérgio Cabral e Beltrame para produzir dossiês contra mim e outros adversários. Em 2014 denunciei esse cidadão exonerado anteontem do cargo de Assessor Especial da Secretaria da Casa Civil, que assessora diretamente o governador. Aliás, conforme pode conferir acima, Tarimar Gomes Cunha é escrivão da Polícia Federal. O que vocês acham que ele fazia como "assessor especial" no Palácio Guanabara?

Mas notem que o araponga Tarimar, mesmo denunciado por mim em 2014, somente esta semana foi exonerado, quatro anos depois. Ou seja, não foi apenas Sérgio Cabral que utilizou seus serviços de espionagem, Pezão também.



Reprodução do Blog do Garotinho (Novembro de 2017)
Reprodução do Blog do Garotinho (Novembro de 2017)


21/02/2018

12:25

O cinismo de Pezão vai além de todos os limites

Reprodução do Estadão online
Reprodução do Estadão online

É "comovente" a preocupação social de Pezão a esta altura do campeonato, só após o decreto de intervenção federal na segurança pública, faltando 10 meses para terminar seu mandato. A gente só não ri porque é uma situação trágica.

A quadrilha do PMDB, liderada por Sérgio Cabral, do qual foi vice-governador e secretário de Obras, área onde a roubalheira aconteceu em ritmo alucinante, destruiu o nosso estado. Ele e Cabral acabaram com todos os programas sociais, inclusive os que atendiam os jovens e lhes permitia se inserir no mercado de trabalho.

O Estado do Rio é onde há mais desempregados em números absolutos, comparando com as demais unidades da federação.

A violência afasta investimentos e empresas estão fechando ou transferindo suas unidades de produção para outros estados e agora ele dá uma de bonzinho e cobra do governo federal a criação de empregos.

Deveria era ficar calado e fazer um mea culpa, mas do alto de seu cinismo fala como se não tivesse culpa pela situação que hoje vivemos no Rio de Janeiro.

21/02/2018

10:51

Brizola denunciou a manipulação da Globo nos arrastões de 1992



O site Conversa Afiada, do jornalista Paulo Henrique Amorim, em boa hora relembra quando Leonel Brizola denunciou a armação da Globo na cobertura dos arrastões de 1992. A manipulação da Globo é velha conhecida de todos nós, e se repete agora na cobertura da onda de violência que assola o Rio de Janeiro.

20/02/2018

22:34

Bate-papo ao vivo com Garotinho


20/02/2018

18:12

Mudança da plataforma eleitoral de Michel Temer

Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

Por mais que negue, todos sabem que Michel Temer sempre sonhou em ser candidato à reeleição, desde o dia em que sentou na cadeira de Dilma Rousseff interinamente, enquanto se desenrolava o processo de impeachment.

Mesmo com seus 6% de aprovação, o pior índice de um presidente da República, Temer nunca desistiu de pensar na reeleição.

Contava com a aprovação da reforma da Previdência para ganhar o apoio do mercado e fazer o país vencer a crise econômica. Não conseguiu seu intento, mas arrumou uma nova bandeira, a única que rivaliza com a economia, que é a segurança pública, afinal os brasileiros do Oiapoque ao Chuí não suportam mais a violência que tomou conta das ruas, invade as casas e acabou com a paz das famílias.

A intervenção na segurança pública do Rio é a última bala na agulha de Temer, mas se acertar o alvo, mesmo que não seja na mosca, será o suficiente para Temer se lançar em uma aventura em busca da reeleição.

20/02/2018

16:36

Sérgio Cabral é um grande cara de pau

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Pode até ser que nos próximos dias a intervenção militar na segurança pública afaste o comando da Secretaria de Administração Penitenciária e os presídios passem a ter novos diretores indicados pelo general Braga Netto. Ninguém sabe o que vai acontecer.

A única certeza é que por enquanto a intervenção é apenas um decreto, não houve qualquer interferência na estrutura do sistema prisional, e quem dirige o presídio de Benfica foi colocado lá por Pezão. Logo, Cabral continuaria mandando e desmandando, sendo o rei do presídio vip de Benfica.

20/02/2018

14:21

A volta do Gato Angorá

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco foi o principal articulador da intervenção militar na segurança pública do Rio. Ele também, como já mostrei aqui no blog, trama a tomada do MDB-RJ, só aguarda a decisão do STF sobre o pedido de habeas corpus de Jorge Picciani. Caso Picciani não se livre da prisão, Moreira vai destronar os clãs Picciani e Cabral, lembrando que o atual presidente interino do MDB-RJ é o filho do ex-governador, o deputado Marco Antônio Cabral.

No fundo, no fundo, Moreira está em busca de foro privilegiado e vai sair candidato pelo Rio de Janeiro, que já governou entre 1987 e 1991. Moreira quer surfar na onda da intervenção. Deve disputar uma vaga de deputado federal, mas já anda falando no Senado, caso a intervenção no Rio seja um sucesso.

Não custa lembrar que Moreira Franco, entre outras coisas, é acusado de ter recebido propina de R$ 3 milhões da Odebrecht, além de esquemas na Caixa Econômica Federal, onde foi vice-presidente de Loterias.

É o gato angorá, como o chamava Brizola, por causa da cabeleira grisalha, e porque, segundo o grande líder trabalhista, Moreira "pulava de colo em colo". No momento o gato angorá está fazendo piruetas, só deve tomar cuidado na hora em que subir no telhado da Lava Jato.

20/02/2018

12:17

Decisão favorável a Garotinho no TRE

Reprodução do Diário da Planície
Reprodução do Diário da Planície

.

20/02/2018

10:45

Zelo do MP com viagens de Crivella foi bem diferente com Sérgio Cabral e Eduardo Paes

Reproduções do G1 e do R7
Reproduções do G1 e do R7

O Ministério Público Estadual está indo na onda da Globo, que por não gostar do prefeito Marcelo Crivella, o ataca todos os dias nos seus veículos. A Globo não aceita que Crivella não seja igual a Eduardo Paes e não goste de se fantasiar, encher a cara, pegar um chocalho e sair sambando pela Marquês de Sapucaí, claro, mas enchendo o bolso da família Marinho com milhões de verbas publicitárias e patrocínios de eventos. É isso que dói na Globo, que Crivella não abra a torneira para jorrar milhões nos seus veículos de comunicação e na Fundação Roberto Marinho.

Por conta o inconformismo dos irmãos Marinho, a Globo passou a bater na viagem de trabalho de Crivella durante o carnaval. Pois bem, o MP Estadual foi rápido no gatilho e já abriu inquérito para apurar as viagens do prefeito do Rio. Pena que com Sérgio Cabral e com Eduardo Paes o MP nunca teve o mesmo zelo. Relembrem acima que quando eu denunciei as farras de Cabral na Europa, tudo fartamente documentado com fotos e vídeos, o MP Estadual nem abriu inquérito, arquivou o pedido de investigação. Nunca quis apurar nada.



19/02/2018

17:10

Lobby por Beltrame no ministério da Segurança não deu certo

Reprodução do UOL
Reprodução do UOL

Já não é a primeira vez. Em várias ocasiões Sérgio Cabral, Jorge Picciani e a turma do MDB-RJ com seus aliados tentaram emplacar José Mariano Beltrame na Secretaria Nacional de Segurança, e agora no ministério da Segurança, em vias de ser criado. Mas seria o cúmulo.

Beltrame responde por improbidade administrativa no processo sobre o superfaturamento do aluguel das viaturas da PM, virou delegado federal entrando pela janela, sendo reprovado no concurso, e o pior de tudo, foi secretário de Segurança por mais de 9 anos, justamente o período onde Sérgio Cabral e a Gangue dos Guardanapos promoveram o maior assalto aos cofres públicos da história do Rio de Janeiro. Beltrame não apenas não viu nada, como morava no apartamento de um dos "laranjas" de Cabral, e seus filhos pegavam emprestada a lancha Manhattan, que pertencia ao então governador, comprada, claro, com dinheiro das propinas.

Com certeza não é um bom exemplo para o país.

Em tempo: Fala-se no nome do ex-governador de São Paulo, Luiz Antônio Fleury Filho, que foi secretário de Segurança de Orestes Quércia. Só não sei se ele topa devido à idade, está com 79 anos.

19/02/2018

15:42

O espólio do PR-RJ

Deputado Altineu Côrtes
Deputado Altineu Côrtes

O PR para mim é passado, mas não posso deixar de comentar a notícia que vem saindo em colunas políticas sobre o rumo do partido aqui no nosso estado, após a minha saída e do meu grupo político.

Vocês lembram que eu revelei aqui no blog que a decisão da direção nacional do PR de me afastar do comando do partido no Rio de Janeiro foi tramada quando o presidente nacional, o ex-senador Antônio Carlos Rodrigues esteve preso em Benfica e teve conversas com Sérgio Cabral e Jorge Picciani. A verdade é que o comando do PMDB-RJ, agora MDB-RJ "seduziu" o PR.

Agora pasmem, mas quem quer voltar para o PR e assumir a presidência do diretório estadual é o deputado Altineu Côrtes. Ele foi eleito com os votos da nossa legenda, depois traiu os companheiros porque "negociou" o seu passe com o PMDB. Pulou para lá, virou aliado de Eduardo Cunha, a quem antes atacava e acabou nas garras da Lava Jato. A Procuradoria Geral da República diz que Altineu era um dos parlamentares usados por Cunha para fazer requerimentos convocando empresários às CPIs, que segundo o MPF, era um dos métodos usados pelo ex-presidente da Câmara, hoje preso em Curitiba, para arrecadar propinas.

É esse que quer assumir o controle do PR fluminense. Só não custa lembrar que ele teve 40 mil votos na última eleição, só entrou com os votos do partido. E o PR não conta mais com a deputada mais votada (na sigla) na última eleição que foi a minha filha Clarissa Garotinho, que teve 330 mil votos, hoje no PRB, após ser expulsa pela direção nacional. A grande força do PR-RJ, caso se confirme a notícia, vai ser um deputado enrolado na Lava Jato e que não consegue nem 50 mil votos. Com ele ou sem ele vocês vão ver o desempenho do PR-RJ na eleição.

19/02/2018

14:00

Garotinho e vereadores falam de ato do dia 8 de março pelo impeachment de Rafael Diniz



19/02/2018

13:01

Entrevista de Garotinho à TV 247

Nesta entrevista em falo da intervenção na segurança pública do Rio e também de como a Globo se rendeu ao governo de Michel Temer por medo do escândalo de corrupção da FIFA, que é investigado pela Justiça dos Estados Unidos.



19/02/2018

09:59

Mais uma farsa de Pezão

Temer e Pezão na solenidade de assinatura do decreto de intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro
Temer e Pezão na solenidade de assinatura do decreto de intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro

Até quando Pezão vai insistir, com o apoio das Organizações Globo, que foi dele o pedido de intervenção militar na segurança pública do Rio? É mais uma farsa, mas essa sem nenhum lastro, insustentável, com o objetivo de melhorar a imagem de Pezão junto à população. Todo mundo político e a imprensa sabe que Pezão foi comunicado que haveria a intervenção e se surpreendeu. E a Globo em conjunto com o Palácio do Planalto criaram uma "saída honrosa" para Pezão com esse papo furado de que foi dele a iniciativa da intervenção. Me engana que eu gosto!

PrimeiroAnterior1 2 3 4 ProximoUltimo